Tópicos


Monitoração neurofisiológica intraoperatória

Monitoração neurofisiológica intraoperatória é a avaliação contínua das funções do sistema nervoso durante um procedimento cirúrgico.

Dependendo da localização e do tipo de procedimento, diferentes técnicas podem ser utilizadas, como eletroencefalograma e potencias evocados somatossensitivos, motores e sensoriais (auditivos e visuais), sendo que geralmente múltiplas modalidades são testadas simultaneamente ao longo do ato cirúrgico.


Os registros captados por eletrodos são amplificados e processados por um equipamento computadorizado, podendo então ser analisados pelo médico neurofisiologista clínico. A utilização adequada dos diferentes tipos de registros neurofisiológicos permite ao neurofsiologista detectar instantaneamente alterações em funções neurológicas causadas pelo ato cirúrgico, enquanto estas ainda não estão permanentemente instaladas. Pode-se ainda identificar qual ação foi diretamente responsável por causar a alteração funcional.


O cirurgião, alertado para este fato pode então reverter esta ação, modificar o planejamento cirúrgico ou até mesmo encerrar o procedimento para evitar um déficit neurológico permanente. Este tipo de controle aumenta em muito a segurança do cirurgião, podendo ser utilizada em cirurgias intracranianas, da medula espinhal, coluna vertebral ou cirurgias vasculares.